Assine minha Lista de E-mail e seja Informado de Novos Artigos!

ASSINE A LISTA

Início » Blog » A importância do sono

A importância do sono para a saúde

Como o sono impacta nossa saúde e qualidade de vida

_______

“Descoberta sensacional!

Cientistas descobriram um novo tratamento revolucionário que fará você viver por mais tempo! Ele melhora a memória e o torna mais criativo. Deixa você mais atraente, o mantém magro e reduz o desejo por comida. Protege contra o câncer e a demência; Diminui o risco de sofrer ataques cardíacos e derrame cerebral, sem falar do diabetes. Você se sentirá mais feliz, menos deprimido e menos ansioso. Está interessado?”

Embora soe exagerado, nada nesse anúncio fictício é mentira. Se ele estivesse falando de um novo medicamento, muitas pessoas duvidariam. As que estivessem convencidas pagariam caro até pela menor dose. As ações da companhia farmacêutica que desenvolvesse um tal remédio dispararia.

Mas em verdade, tal remédio não pode ser patenteado: Ele está disponível para todos nós, sempre que precisamos, sob a forma de uma boa noite de sono.

O que é o sono?

O sono é um estado fisiológico marcado por:

  1. diminuição do nível de consciência e da atividade sensorial;
  2. pela inibição dos músculos voluntários; e
  3. ativação de uma série de processos que visam a reparação dos vários sistemas que compõem o nosso corpo, como o imune, o nervoso, esquelético-muscular, o endócrino etc.

É um estado ativado periodicamente, regulado pela luz do Sol, vivenciado por todas as espécies animais no planeta Terra.

Embora ainda haja muito por descobrir a respeito do sono, as pesquisas científicas sobre o assunto tem sido contínuas desde o começo do Século XX; e o que já sabemos é mais do que suficiente para ficarmos maravilhados com inúmeros benefícios do estado adormecido.

Num lançamento recente, Por que nós dormimos: A nova ciência do sono e do sonho, o neurocientista inglês Matthew Walker nos descortina o que há de mais atual na pesquisa do sono, descrevendo as benesses de uma boa noite de sono e os riscos relacionados à sua privação.

Por que Dormimos?

O sono é um milagre. Se as pessoas tivessem a mais mínima noção de quão poderoso o sono é para curar qualquer coisa, elas ficariam chocadas. Inversamente, se soubessem de todos os malefícios da privação de sono, pensariam duas vezes antes de virar a noite fazendo maratona de seriados na Netflix.

Sistema imune -> Teste a eficácia do sono versus a eficácia de qualquer droga farmacêutica ou erva medicinal. Você pode tomar doses cavalares dessas substâncias o quanto queira, mas se estiver privado de sono, seu sistema imune não vai funcionar a contento.

Alimentação -> Prive a si mesmo de sono, e seu corpo vai sentir necessidade de se alimentar mais do que o normal (em especial de alimentos altamente calóricos) e disparar sua fissura por açúcar. Há uma tendência de perda de peso, mas não da massa gorda e sim da massa magra (músculo). Nada recomendável para quem está em dieta ou frequentando a academia, certo?

Concentração -> Além disso, como todos sabemos, uma noite mal dormida tem efeito sobre a nossa capacidade de nos concentrarmos – o que aumenta a busca por cafeína ou energéticos (todos substâncias que atrapalham o sono). A coisa começa a entrar num ciclo vicioso, extremamente caro e difícil de sair.

Aprendizagem -> Estar privado de sono diminui nossa capacidade de apreender novas informações (pois é o sono que “limpa” nossa memória de trabalho) e dormir pouco ou mal após uma sessão de estudos é receita certa para não cimentar aquilo que foi aprendido (pois outra função essencial do sono é a consolidação das memórias). 

Irritabilidade e impulsividade -> Uma vez privados de sono, somos muito mais sensíveis a estímulos positivos (o que pode ser um problema quando a busca por sensações nos leva a fazer coisas que colocam nossa saúde em risco, ou nos torna mais suscetíveis a nos viciar em substâncias químicas) e também mais sensíveis a estímulos negativos, nos tornando mais irritadiços, impacientes e negativistas.

Fisiologia -> Como dito anteriormente, o sono é responsável pela reparação do nosso corpo. Dormir menos do que o necessário tem implicações graves para uma série de processos fisiológicos essenciais. Em resumo, nosso corpo entra em modo de luta-e-fuga, colocando em marcha todas as divisões fisiológicas do corpo – aumentando a freqüência cardio-respiratória, a pressão sanguínea, a função imune, bagunçando funções hormonais (aumentando as do estresse e diminuindo as sexuais como a testosterona) etc.

Dito de outro modo, você está aumentando suas chances de hipertensão, derrame, falência cardíaca, diabetes, fraqueza muscular, diminuição da potência sexual, infertilidade, entre outros.

Siga as recomendações!

O livro de Walker faz um belo trabalho de detalhar todos esses achados e não há espaço suficiente para repeti-los aqui. Mas recomendo vivamente sua leitura para quem deseja conhecer melhor essa maravilha que é o sono.

Tanto a OMS como a National Sleep Foundation dos EUA recomendam um mínimo de 8 horas de sono para o adulto médio. Esse número foi determinado a partir de um número gigantesco de pesquisas e está bem estabelecido pela comunidade científica. É uma necessidade humana que, se não atendida, cobra um preço muito alto.

Quando você rompe com as suas necessidades naturais, a Mãe-Natureza lhe dá 3 avisos:

  • O primeiro aviso: Você fica sem energia e desanimado;
  • Se você não der importância, seu segundo aviso é um mal-estar persistente ou doença crônica;
  • Se ainda assim você não der ouvidos, o terceiro aviso virá na forma de uma infecção (viral, bacteriana ou fúngica);
  • por último – se você estiver realmente se fazendo de surdo – você adquire uma doença grave e morre.

O velho ditado, “dormirei quando estiver morto”, é extremamente infeliz. Adote esta atitude e você estará morto mais cedo e a qualidade dessa vida (mais curta) será pior.

_____

Se estiver com dificuldade para dormir, confira este meu outro artigo com 12 Dicas para Acabar com a Insônia.

_______

IMPORTANTE: O conteúdo deste blog é informativo, mas não deve ser considerado como suficiente para realizar um auto-diagnóstico ou decidir quanto a uma solução terapêutica. Se você está passando por algum tipo de problema, procure um profissional psicólogo que irá poder fazer uma avaliação mais detalhada de seu caso particular.

Gabriel Haddad

Gabriel Haddad

Eu sou psicólogo clínico, pós-graduando em Terapia Comportamental e trabalho ajudando jovens e adultos que querem vencer as limitações psicológicas que diminuem sua qualidade de vida, como: depressão, ansiedade, falta de habilidades sociais, baixa autoestima, dificuldades de relacionamentos, transtornos compulsivos, dependência e outras.

Assine minha Lista de E-mail e seja Informado de Novos Artigos!

ASSINE A LISTA

Leave a Reply